domingo, 10 de janeiro de 2010

Capítulo I - Mantendo-se ocupada - 1/4

Sempre a mesma calmaria. Tudo em Kawaii encontrava-se numa sintonia de elementos visuais belamente irritantes. O céu sempre azul claro, um belo arco-íris, as árvores carregadas de grandes e vermelhas maçãs, crianças correndo, adultos em suas lojas, mães em suas casas de açúcar. A Princesa Abigail, oberservara tudo do alto da torre do castelo, e em seu íntimo esperava acontecer algo, alguma coisa que lhe desse algum motivo para descer dalí, qualquer coisa, não muito grave... Quem sabe uma daquelas crianças caíssem dentro do grande poço repleto de jacarés selvagens famintos, e assassinos? Ou por engano alguma mãe colocasse ácido sulfúrico na lancheira do filho, no lugar dos repetitivos sucos de limão? Algum deles, descalço, ou molhado, destraidamente, claro, colocassem a mão em um poste com a fiação desencapada, e tomasse um choque altamente perigoso? Mas não! Nada disso acontecia, Kawaii tinha Guardas Guardadores por todo os lados. Esses que eram extremamente rígidos, quanto a ordem e a segurança do local. Abigail, era uma garota de 17 anos, de pele branquíssima, cabelos longos e negros, não era muito alta.
- Princesa Abigail, pronta para o jantar?
- Não! E nem estou afim!
- Mas já está na hora, sem demoras?
- Hum...
Era Pitolomeu, o lacaio de seu castelo. Um homem, extremamente baixo, de cabelos em forma de cuía, e nariz estranhamente achatado, que era motivo para Abigail apelidá-lo de Venta de Bolacha. Em seu braço esquerdo havia uma enorme queimadura, obra de Abigail, que quando menor, com raiva do lacaio, porque a chamara para tomar banho antes da hora, esperou que ele entrasse em seu quarto novamente, e fechou sua prancha alisadora no braço de Pitolomeu, que com o susto, puxou o braço com tamanha rapidez que queimou mais ainda seu braço esquerdo. Ela o odiava, mas como estava na família a muito tempo, tinha pena de demití-lo. Abigail, olhava agora com mais atenção para os garotos de Kawaii, como a eterna felicidade deles a irritava. Pensou que era a hora, de animar mais um pouco a pequena cidade.
- O jantar já está na mesa!
- Já vou! Seu Venta de Bolacha! - Essa última frase falou mais baixo.

CONTINUA...

18 comentários:

  1. Certo, ela vai cair no mundo e virar o Buda?

    ResponderExcluir
  2. KKKKKKKKK' *----*'ATORON. /rs
    Ouh, eu vou imprimir e distribuir o livrinho para as crianças pobres. .N " homem, extremamente baixo, de cabelos em forma de cuia, e nariz estranhamente achatados" <- KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK' eu mijei. Qnn ANDA LOGO. ô/

    ResponderExcluir
  3. Contos! Não gosto de blogs de contos, sabe por quê? Porque acabo perdendo o endereço e não sabendo o final da história... Adorei a Abigail, já favoritei para aompanhar suas aventuras!

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkk
    Gostei da estória! Será que estou descobrindo um "Flaubert Gustave" brasileiro [a]? :X
    Não sei não... Cuidado para que os fanáticos religiosos não o queimem na fogueira por sua subversão... lol
    Vou acompanhar a estória, e seguir o blog ^^

    ResponderExcluir
  5. (pra não perder o link pessoal, tonem-se seguidores \o/)

    ResponderExcluir
  6. aewww adoreii
    de verdade
    vou acompanhar!

    ResponderExcluir
  7. texto agressivo, para adultos hasusha não?

    ResponderExcluir
  8. Ah, isso parece bonitinho. Vou ler desde o início, depois.

    ResponderExcluir
  9. hasudhuas esses blogs assim são cansativos, vc tem q procurar algo inovador xD

    ResponderExcluir
  10. A estória parece que vai se tornar densa com o amadurecimento das personagens e a sua forma de descrição é interessante. Mas tens que tomar cuidado com o uso incorreto de vírgulas e de regras gramaticais. Nada que o exercício da escrita não resolva. Tá de parabéns pela iniciativa.

    Saudações.

    ResponderExcluir
  11. tenho que ler o restante do conto,kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. mnuito bom,
    vc descreve bem os personagens
    gosto de história medievais,
    com castelos etc.

    ResponderExcluir
  13. Vou continuar acompanhando.
    Gostei.

    ResponderExcluir
  14. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk..Amei(L)

    ResponderExcluir
  15. Belo trabalho descritivo, estou conhecendo agora a história...

    http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/2010/01/sua-vida-sem-voce.html

    ResponderExcluir